A cloud computing, ou computação na nuvem, pode ser definida como uma tecnologia que permite o armazenamento de arquivos ou a execução de programas de forma remota, sem que eles precisem estar dentro do HD de um computador específico para isso, já que são armazenados em servidores que podem ser acessados via internet com apenas um login e senha.

Serviços como Google Drive e Dropbox, ou mesmo a plataforma do Gmail, são exemplos de computação na nuvem. A principal característica é a possibilidade de acesso aos dados a partir de qualquer dispositivo conectado à rede. Graças a essa flexibilidade, a nuvem ganhou popularidade nos últimos anos e conquistou seu espaço em várias empresas.

Mas esse não é o único motivo para investir em cloud computing. Neste post, apresentaremos as 4 maiores vantagens em adotar esse sistema. Acompanhe!

1. Maior escalabilidade operacional

A escalabilidade operacional é a capacidade de uma empresa aumentar ou diminuir os seus recursos conforme for necessário. Com a cloud computing, serviços de TI conseguem obter essa característica facilmente, uma vez que não dependem da aquisição de maquinário ― como computadores novos, servidores etc. ― para ampliar seus serviços, nem perderão investimento quando estes se tornarem obsoletos.

Isso gera grande vantagem competitiva para empresas que possuem aplicações baseadas na nuvem, já que a sua capacidade de responder às demandas do mercado será elevada. Independentemente do número de pedidos que a companhia receber, ela poderá modificar a sua infraestrutura de TI rapidamente: basta alterar o plano contratado com o serviço de cloud computing.

2. Ganho de segurança digital

O uso da cloud computing é capaz de ampliar significativamente a segurança digital no ambiente corporativo. Como os serviços não dependem de recursos locais para serem executados, as chances de uma vulnerabilidade operacional acarretar na exposição de dados pessoais são baixas.

Isso pode ser útil, por exemplo, durante a execução de um legacy software. Muitas companhias precisam de ferramentas antigas para se manterem operacionais. Com a nuvem, tais aplicações serão utilizadas sem que as suas vulnerabilidades sejam exploradas por ameaças locais, comprometendo a segurança do negócio.

Além disso, a computação na nuvem permite que bancos de dados sejam controlados com maior centralização. Isso facilita a definição de políticas de governança que tornem os recursos robustos e confiáveis.

3. Possibilidade de adotar metodologias de trabalho flexíveis

Ferramentas de cloud computing tornam a adoção de metodologias de trabalho flexíveis algo muito mais simples e prático. Políticas de home office, por exemplo, podem ser implementadas sem que isso implique na perda de produtividade de um profissional ou, mesmo, em comprometimento da segurança interna.

Profissionais conseguirão trabalhar acessando recursos da empresa em qualquer local. Ao mesmo tempo, a comunicação com outros times será mantida, uma vez que a plataforma utilizada para troca de dados terá a sua execução baseada na nuvem. Ao mesmo tempo, viagens a trabalho não implicarão na interrupção de um projeto ou falta de acesso a arquivos corporativos.

4. Custos precisos a médio e longo prazo

Graças à sua flexibilidade, ferramentas de computação na nuvem facilitam a redução de custos com tecnologia, a médio e longo prazo. A empresa passa a pagar apenas por aquilo que ela utiliza, um fator que em tempos de crise pode ser crucial para garantir o sucesso das estratégias do negócio. Gastos com soluções não utilizadas são eliminados, uma vez que o gestor de TI poderá reduzir o seu pacote de serviços sempre que for necessário.

Como consequência, a empresa terá mais recursos para investir em novas soluções de TI. Isso cria um ciclo de inovações contínuo, mantendo-a competitiva mesmo em tempos de crise.

Gostou do nosso post e quer saber como a cloud computing pode ser integrada ao seu negócio? Entre agora em contato com um de nossos especialistas para saber mais sobre essa tecnologia!