Uma das tarefas que consome muito tempo nas equipes de TI é fazer reconfigurações em diferentes máquinas e a atualização de serviços. Para solucionar isso, surgiram os utilitários de gerenciamento de software. Essas ferramentas servem para automatizar esse processo, diminuindo o número de erros e possibilitando um melhor uso do tempo por parte dos profissionais.

Uma delas é o Puppet, que possui tanto soluções gratuitas quanto pagas. Além de ser compatível com uma grande diversidade de sistemas, o Puppet é fácil de instalar e não requer conhecimentos muito avançados de programação. Essa ferramenta é usada por várias empresas grandes da área de tecnologia, como a Sony, a Intel e a Nasa.

Quer saber como o Puppet pode ajudar a aumentar a eficiência da sua equipe de TI? Acompanhe o post de hoje!

O que é o Puppet?

Como um utilitário de desenvolvimento de software, o principal objetivo do Puppet é automatizar a configuração de sistemas operacionais e o versionamento de software em uma rede.

Sendo assim, o seu principal benefício é que não é necessário fazer essas mudanças individualmente, basta especificar o estado desejado por meio do Puppet. Ele também pode ser usado para auxiliar na monitoria, como vamos explicar melhor no final do texto.

Como funciona o Puppet?

Normalmente, o Puppet é usado com uma arquitetura cliente/servidor, na qual o cliente é o Puppet Agent e o servidor é o Puppet Master. De forma simplificada, ele funciona da seguinte forma:

  1. Cada Puppet Agent envia ao Puppet Master um conjunto de facts, que são dados sobre a configuração da máquina.

  2. O servidor gera um catalog a partir dos facts. O catalog especifica o estado em que o cliente deve estar, ou seja, indica as mudanças que precisam ser feitas.

  3. O Agent aplica as mudanças durante a inicialização do sistema e faz um report das alterações realizadas, que é enviado ao Puppet Master.

  4. O servidor recebe o report e, a partir dele, pode fazer ações de acordo com a sua configuração, como emitir alertas por meio de APIs externas.

Quais são os benefícios do Puppet?

Ampla compatibilidade

O Puppet é compatível com Windows, Mac e uma grande variedade de sistemas Linux. Quanto aos programas, é necessário usar módulos, que são pacotes com o código e os dados necessários para lidar com a configuração e instalação de um software.

Além de uma vasta quantidade de soluções de terceiros, é possível desenvolver seus próprios módulos, de modo a atender a realidade da empresa.

Segmentação de configurações

Para não ter o trabalho de configurar um Puppet Master para cada padrão de configuração diferente, há uma ferramenta do Puppet chamada de environment. Ela possibilita criar diferentes perfis de configuração e sistema. É recomendado dividir os Agents de acordo com os estágios do desenvolvimento, já que cada um requer diferentes módulos e ajustes.

Apoio à monitoria

Primeiramente, o Puppet pode ser usado para automatizar a instalação e configuração das ferramentas de monitoria por meio do uso de módulos. Com o uso de environments, é possível que essa configuração seja feita de acordo com os indicadores monitorados em cada área.

Outro benefício de usar o Puppet com a monitoria é que, com uma configuração adequada do módulo, algumas ações podem ser automatizadas. Por exemplo, dependendo do alerta emitido, o Puppet pode ser configurado para fazer as mudanças necessárias para corrigir o problema automaticamente.

E então, qual a sua opinião sobre o Puppet? Ficou interessado nessa ferramenta? Entre em contato conosco e saiba mais sobre como implantá-la na sua empresa!